quarta-feira, 12 de abril de 2017

Nutrição

Com o Centro de Saúde de Santa Clara, a falar de nutrição.



As crianças preferem a fantasia

As crianças preferem a fantasia...
Estava para haver "caça aos ovos" promovida pela Associação de Pais, mas não houve. Para oferecer uns ovitos a lembrar a Páscoa fomos ao supermercado às compras.
Entrei no JI com o saco de plástico e pensei que seria uma desilusão para as crianças não haver uma surpresa dessa figura mágica que é o Coelhinho da Páscoa. Ocorreu-me inventar uma história sobre o assunto. Fui ao XXXXXX e disseram-me que o Coelhinho da Páscoa deixou aquele saco para os Brincantes. Vamos ver o que é? Foi uma festa!
Tenho a certeza que grande parte das crianças sabe que fui eu que fiz as compras, mas prefere acreditar numa ação do Coelhinho da Páscoa dedicada aos Brincantes.

Páscoa

Páscoa.... a passagem do Inverno para a Primavera, uma oportunidade para celebrar a natureza.

Há muitas maneiras de contar histórias

Folhados de salsicha e folhados de chocolate, com a I.


A nossa I, aluna do 10º ano, anda a fazer umas coisas giras, ou melhor, boas!
Ela vai ao supermercado comprar os ingredientes para as receitas que depois experimenta fazer connosco. Assim nós também aprendemos!
Depois escreve tudo num blogue chamado janeladecomida e assim comunica a outros as suas receitas.
Um dia  fizemos folhados de salsicha, outro dia folhados de chocolate.



Em modo van Gogh

Os nossos dias são repletos de porquês.

À quarta feira é dia de observar os feijões...
Alguns cresceram muito, outros cresceram menos e há outros que estão a morrer! Porquê?
Entretanto na horta os feijões semeados no mesmo dia, só agora começaram a espreitar fora da terra. Porquê?
Os nossos dias são repletos de porquês.

O van Gogh morreu porquê?

Um grupo de professores franceses (Erasmus) esteve na nossa sala e deixou-nos uma brochura e um CD de van Gogh, o pintor da Natureza.
Hoje estivemos a explorar esse material.
...
- Van Gogh nasceu há muitos anos e também já morreu.
- Porquê, estava velho ou doente?
- Mais ou menos, sim. E também já foi há tanto tempo que ele não podia estar vivo.
- Nós quando morremos vamos para o céu, transformamo-nos numa estrela.
- Se calhar...
- Quando morrermos todos somos todos estrelas.
- Se calhar... Se for assim encontramo-nos todos no céu e montamos lá uma escola! Ih!Ih!
- Boa! E podemos fazer uma festa!

A S. não gosta de nenhuma atividade oferecida pelos adultos, seja de que tipo for. Por isso, de vez em quando as atividades tornam-se obrigatórias, para ajudar a S. a ultrapassar esta relutância. A sua amiga inseparável, a A. está a ajudar, dizendo que é "fácil", "basta tentar". É isto o espaço da Educação de Infância, um modo de crescer em companhia.